!!> PDF / Epub ✈ Contos Exemplares ⚣ Author Sophia de Mello Breyner Andresen – Reliableradio.co.uk

Contos Exemplares Os melhores contos da melhor escritora e das maiores mulheres do seculo passado pela sua simplicidade e clareza que vemos o mundo melhor Com provoca es ao poder e aos seus tent culos no mundo, ela consegue p lo abaixo daquilo que importante A alegria, a verdade e a simplicidade. Fiquei rendido ao conto de abertura, O jantar do bispo , e ao conto que finaliza o livro, Os tr s reis do oriente.N o adorei os restantes por diversos motivos Com excep o das obras obrigat rias do ensino b sico preparat rio, esta foi a primeira obra de Sophia para mim e, provavelmente, o grande motivo para n o ter guardado os outros contos como ficaram reservados aqueles dois Mas vale a pena. Contos Exemplares O Nome De Uma Colect Nea De Contos De Sophia De Mello Breyner Andresen O Seu Nome Faz Uma Refer Ncia Directa, Expl Cita Numa Cita O No In Cio Do Livro, S Novelas Exemplares De Miguel De Cervantes Lhes Dado O Nome De Exemplares, E Se Virdes Bem, N O H Nenhum Do Qual N O Se Possa Retirar Um Exemplo Com Um Pref Cio P Rtico De Ant Nio Ferreira Gomes, Inclui Os Seguintes Contos O Jantar Do BispoA ViagemRetrato De M NicaPraiaHomeroO HomemOs Tr S Reis Do OrienteGasparMelchiorBaltasar Em todos os contos Sophia demonstra o seu amor poesia Mas o conto Homero onde se encontra mais presente B zio uma figura misteriosa que cria musica, poesia e arte A sociedade o v como um vagabundo, mas a narrador o observa maravilhada o comparando com o pr prio mar No Jantar do bispo Sophia critica a sociedade materialista No conto A viagem real ado o poder da natureza, mesmo perdidos o casal apreciou as maravilhas de uma floresta No Homem ela aborda a cria o O Retrat Em todos os contos Sophia demonstra o seu amor poesia Mas o conto Homero onde se encontra mais presente B zio uma figura misteriosa que cria musica, poesia e arte A sociedade o v como um vagabundo, mas a narrador o observa maravilhada o comparando com o pr prio mar No Jantar do bispo Sophia critica a sociedade materialista No conto A viagem real ado o poder da natureza, mesmo perdidos o casal apreciou as maravilhas de uma floresta No Homem ela aborda a cria o O Retrato de M nica o mais diferente de todos os contos e por isso o mais emocionante, em que visualizamos um retrato de uma mulher sofrida O livro termina com Os tr s reis orientais , Baltazar, Gaspar e Melchior N o narrado a sua viagem a Bel m mas sim os seus encontros com a comunidade para interpretar um texto sagrado, que acaba por o aceitar que um poema podendo por isso v rias interpreta es Sophia poetiza os seus conto, tendo sendo um olhar de artista em que visualiza beleza mas tamb m tristeza O conto que mais amei,e em que podemos observar mais poesia, o Homero A figura de B zio n o deixara mais a minha mente, pois ele feito de espuma do mar e suas m os duas conchas Iniciei com este livro de contos a minha viagem pelos contos de Sophia N o me encantei Gostei, mas n o me arrebatou Se procuram um final concreto nos contos dificilmente o v o encontrar neste livro Destaco os dois contos que gostei bastante, o Jantar do Bispo e o A viagem Gosto tanto da poesia de Sophia, tenho pena que n o tenha gostado mais destes contos. 3.5 4 Optei por ler este livro de forma diferente Li um conto por dia ao pequeno almo o e fui tomando as minhas notas, deixando a hist ria assentar em mim Tamb m optei por n o ler o pref cio, porque aconselharam me a n o o fazer Penso que o mesmo n o vai acrescentar nada leitura e s a vai desmotivar, pelas opini es que ouvi No geral, gostei, uns contos mais do que outros, como normal E uns ir o ficar mais do que outros A discuss o foi feita na FLP, no Encontro do Clube dos Cl 3.5 4 Optei por ler este livro de forma diferente Li um conto por dia ao pequeno almo o e fui tomando as minhas notas, deixando a hist ria assentar em mim Tamb m optei por n o ler o pref cio, porque aconselharam me a n o o fazer Penso que o mesmo n o vai acrescentar nada leitura e s a vai desmotivar, pelas opini es que ouvi No geral, gostei, uns contos mais do que outros, como normal E uns ir o ficar mais do que outros A discuss o foi feita na FLP, no Encontro do Clube dos Cl ssicos Vivos e n o podia ter sido melhor Opini o mais detalhada de cada conto 1 O jantar do bispoCr tica muito forte ao Salazarismo, opul ncia dos grandes senhores e da igreja, grande diferen a das classes sociais.Inoc ncia das crian as que falam tudo sem medo e sinceridade e v em coisas que os adultos n o v em.Corrup o 5 2 A viagemTodas as escolhas e encruzilhadas com que nos deparamos pela vida, que mutam, desaparecem e por vezes nem damos por elas ou as tomamos como garantidas A necessidade de arriscar e dar o salto para o abismo 5 3 Retrato de M nicaCr tica a todas as M nicas deste mundo 4 4 PraiaUm pouco confuso, sobre nos acomodarmos s situa es, vivermos no passado, n o querermos saber o que se passa nossa volta e a inutilidade da nossa vida 3 5 Homero 6 O homemRetrato de Deus e da falta de f , que te afasta e te isola 3 7 Gaspar8 Melchior9 Baltazar 3 Este livro revelou se ser quase tudo aquilo que eu esperava que fosse Foi para mim uma leitura maravilhosa pois estes contos s o quase como pequenas obras de arte A escrita, irrepreens vel, marcadamente nica, num estilo que combina simplicidade e beleza de uma forma rara Os textos s o constru dos na sua maioria por frases curtas e simples, mas onde as palavras brincam e se arranjam de uma forma mel dica e po tica Apesar da aparente simplicidade, os temas n o s o de todo simples ou direc Este livro revelou se ser quase tudo aquilo que eu esperava que fosse Foi para mim uma leitura maravilhosa pois estes contos s o quase como pequenas obras de arte A escrita, irrepreens vel, marcadamente nica, num estilo que combina simplicidade e beleza de uma forma rara Os textos s o constru dos na sua maioria por frases curtas e simples, mas onde as palavras brincam e se arranjam de uma forma mel dica e po tica Apesar da aparente simplicidade, os temas n o s o de todo simples ou directamente acess veis ao leitor Por vezes necess rio alguma reflex o ou contextualiza o, e confesso que em alguns caso foi j depois de ler o pref cio que nestes casos deixo para ler no fim da leitura dos textos , que entendi algumas das particularidades dos contos.Esta edi o dos Contos Exemplares, cont m sete contos Come a pelo conto Jantar do Bispo , um conto de entendimento f cil mas de reflex o prolongada O tema o cl ssico do bem e do mal com figuras tamb m cl ssicas para o estereotipar, como o rico e o pobre , ou Deus e o Diabo N o um conto supreendente, mas muito bonito.O conto A Viagem um dos contos desconcertantes deste conjunto e um dos meus preferidos A reflex o que este conto proporciona ir depender do leitor Pessoalmente fez me reflectir sobre o dar valor ao que se tem e sobre a ambi o de ter sempre mais tamb m um conto de enorme beleza, como o s o todos Retrato de M nica uma s tira muito bem conseguida ao sucesso social Fez me rir e reflectir como estes contos, apesar de terem sido escritos enquanto cr tica ao Estado Novo, numa altura em que as pessoas n o tinham voz, conseguem ser como no caso deste, t o actuais como nessa altura Praia um conto denso, pesado Belo ainda, talvez aquele que mais d vidas suscitar no leitor sobre o seu significado Eu tentei contextualiz lo na poca do Estado Novo, entendendo no texto os medo, receios e esperan as de uma gera o que espera a mudan a, que espera qualquer coisa Ainda assim julguei ser f cil coloc lo nos nossos dias, parecendo me um ptimo espelho para reflectir sobre as dificuldades das gera es mais novas Surge aqui finalmente o mar, um tema e uma paix o recorrentes na escrita de Sophia de Mello Breyner Andresen, mas no conto seguinte Homero que o mar aparece em tua a sua for a Lind ssimo o conto Homero , este um dos contos que mais me fez sentir No homem que vagueia, mendigo, parte de uma sociedade e que no mar encontra talvez a sua salva o, a sua companhia, a raz o da sua vida Se nos outros contos j me admirava com a beleza da escrita, neste fiquei esmagada pelas imagens que a autora me conseguiu passar Outro conto que n o perdeu a actualidade e que apela ao nossos sentimentos e reflex es mais profundas o conto O Homem Um apontar do dedo sociedade e a cada um de n s enquanto parte dela.Por fim, temos no conto Os Tr s Reis do Oriente o conjunto de tr s hist rias, Gaspar , Melchior e Baltazar Foi curioso pois pensei que n o ia gostar destes contos e acabei por gostar at bastante Muito simples e directos, s o contos que fazem reflectir sobre a vida e os seus significados.Resumindo, n o encontro nada de mal a dizer em rela o a esta obra Ela est magn fica, mas reconhe o que cada leitor poder ter entendimentos diferentes, e se uma leitura n o nos tocar ao pensamento e ao cora o, n o deixar de ser uma obra de arte mas n o ter em n s qualquer efeito Eu tive a sorte de esta obra me ter atingido e permeado, ainda que eu ache que no futuro uma releitura pode ainda revelar me alguns mist rios que desta vez n o descortinei Recomendo a pois na esperan a que possa ter em v s leitores deste blogue, um efeito similar.Para o post completo sobre esta leitura, visite o meu blog LinkedBooks em Os Contos Exemplares de Sophia s o realmente exemplares um cuidado lingu stico com a escrita a toda a prova conjuntamente com aquela colora o imaginativa caracter stica da autora As hist rias tomam lugar no universo liter rio da escritora, patente em toda a sua obra, s o bem ritmadas e t m cad ncias absolutamente perfeitas. Al m de um poema ou outro, com que me cruzei nos meus passeios pela Internet, nunca tinha lido Sophia de Mello Breyner Andresen Nem me ocorria ler Mas, no final da introdu o da Odisseia, Frederico Louren o coloca um excerto de um conto Homero de Sophia que define de modo inultrapass vel a poesia da OdisseiaE l foi a desequilibrada comprar os Contos Exemplares O excerto este palavras moduladas como um canto, palavras quase vis veis que ocupavam os espa os do ar com a sua forma, a Al m de um poema ou outro, com que me cruzei nos meus passeios pela Internet, nunca tinha lido Sophia de Mello Breyner Andresen Nem me ocorria ler Mas, no final da introdu o da Odisseia, Frederico Louren o coloca um excerto de um conto Homero de Sophia que define de modo inultrapass vel a poesia da OdisseiaE l foi a desequilibrada comprar os Contos Exemplares O excerto este palavras moduladas como um canto, palavras quase vis veis que ocupavam os espa os do ar com a sua forma, a sua densidade e o seu peso Palavras que chamavam pelas coisas, que eram o nome das coisas Palavras brilhantes como as escamas dum peixe, palavras grandes e desertas como praias Como que algu m apaixonado por palavras consegue resistir a tanta sedu o Quer ao conto de Sophia de Mello Breyner Andresen quer ao poema de Homero Eu c n o, pois sou pouco adepta de sacrif ciosE agora os contosPublicados em 1962, surgem como uma reac o de Sophia ao governo Salazarista, o qual oprimia o povo afirmando basear se na doutrina crist , o que a ofendia nas suas cren as religiosas O JANTAR DO BISPO 5 Um padre vive em pobreza extrema porque d aos pobres tudo o que tem O Senhor Rico l da terra, considera este comportamento do Padre de Varzim, n o como virtude, mas como desordem, anormalidade, bolchevismoIncomodado, organiza um jantar para convencer o Bispo a despachar o padre para outra par quia.Uma hist ria muito bonita, e melhor contada, sobre a luta entre o Bem e o Mal Mesmo n o acreditando em milagres, nem em Deus e Diabo, foi imposs vel n o me emocionar A VIAJEM 5 Um casal vai por uma estrada primeiro de carro, depois a p Dirigem se para um destino n o definido sem se deterem muito tempo nos lugares por onde passam e com as pessoas com que se cruzam De vez em quando, precisam regressar aos s tios que abandonaram para corrigir algo a que n o deram import ncia, mas j est tudo diferenteEste conto quase uma hist ria de terror Claustrof bico e assustador No in cio, n o entendi o que estava a acontecer, mas depois tudo se encaixou e achei maravilhosa a simbologia para uma situa o t o corriqueira Na introdu o est tudo explicadinho Felizmente s a li no fim Estas introdu es, que deviam ser conclus es, d o me cabo da cabe a os editores devem pensar que os leitores s o burros e fazem lhes, previamente, o resumo do livro RETRATO DE M NICA 5 M nica a mulher perfeita boa m e e esposa tem muitos amigos gosta e diz bem de toda a gente, e toda a gente gosta e diz bem dela n o tem v cios faz gin stica e joga golfe deita se tarde e levanta se cedo chique, culta e inteligente uma mulher de sucesso Quando ela est na praia, o pr prio sol se enerva Dedica se a obras de caridade, faz casacos de tricot para as crian as que os seus amigos condenam fome s vezes, quando os casacos est o prontos, as crian as j morreram de fome Mas a vida continua E o sucesso de M nica tamb m Para conquistar tudo isto s teve de renunciar a tr s coisas poesia, ao amor e santidade PRAIA 1 Este conto li duas vezes e em nenhuma me entrou HOMERO 5 B zio um velho louco e vagabundo que fala com o mar pura poesia O HOMEM 5 Um homem muito bonito que caminha por uma rua com uma menina ao colo A sua cara escorria sofrimento A sua express o era simultaneamente de resigna o, espanto e perguntaAo cruzar se com esse desconhecido, a narradora percebe que ele precisa de ajuda e a multid o n o via, n o o via Ela tamb m foi embora tinha um encontro e estava atrasada OS TR S REIS DO ORIENTE 5 Porque que Gaspar, Melchior e Baltasar seguiram a estrela do Oriente Foram procura da Verdade, renunciando Falsidade dos dolos, da sabedoria e da riqueza N o creio que renunciar a estas coisas seja bom, mas o conto.E pronto Gra as aos Contos Exemplares, j adoptei mais um livro Dinossauro Excelent ssimo Os livros s o bem piores do que as cerejas essas t m uma poca, e curta Sinto que vou quase escrever uma heresia, mas a verdade que n o gostei muito deste livro E gostei sempre de todos os livros contos que li da autora Estes n o me marcaram de nenhuma forma, nem extra deles grandes li es

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back To Top